quinta-feira, 6 de março de 2008

Não apaguemos a história


Devido a importância e sensibilidade deste tema, publicamos este e-mail que nos foi enviado e que é importante ler, pedindo-lhe que faça uma cópia e envie para todos os seus contatos, para que a memória não seja apagada, como infelizmente alguns querem em nome do "politicamente correto"...

Exatamente, como foi previsto há cerca de 60 anos...

É uma questão de História lembrar que, quando o Supremo Comandante das Forças aliadas, General Dwight D. Eisenhower encontrou as vítimas dos campos de concentração, ordenou que fosse feito o maior número possível de fotos, e fez com que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados até aqueles campos e até mesmo enterrassem os mortos. E o motivo, ele assim explanou:

" Que se tenha o máximo de documentação - façam filmes - gravem testemunhos - porque, em algum ponto ao longo da história, algum bastardo se erguerá e dirá que isto nunca aconteceu". "Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam". (Edmund Burke)

Relembrando: O Reino Unido removeu o Holocausto dos seus currículos escolares porque "ofendia" a população muçulmana, que afirma que o Holocausto nunca aconteceu...

Este é um presságio assustador sobre o medo que está atingindo o mundo, e o quão facilmente cada país está se deixando levar. Estamos há mais de 60 anos do término da Segunda Guerra Mundial. Este e-mail está sendo enviado como uma corrente, em memória dos 6 milhões de judeus, 20 milhões de russos, 10 milhões de cristãos, e 1900 padres católicos que foram assassinados, massacrados, violentados, queimados , mortos de fome e humilhados , enquanto Alemanha e Rússia olhavam em outras direções.

Agora, mais do que nunca, com o Irã, entre outros, sustentando que o "Holocausto é um mito", torna-se imperativo fazer com que o mundo jamais esqueça. A intenção em enviar este e-mail, é que ele seja lido por 40 milhões de pessoas em todo o mundo. Seja um elo desta corrente e ajude a enviar o e-mail para o mundo todo. Não o apague. Você gastará, apenas, um minuto do seu tempo a reencaminhá-lo...

Fizemos a nossa parte... Faça a sua também.

3 comentários:

marco antonio b fontes disse...

Shalom, gostei do blog, e belas imagens pra não esquecer e nem repetir!! e pensar em algo muito forte e pesado que deve ser feito pra evitar que tudo isto se repita novamente e e vi a situação nos mapas e também mesmo que voce não veja todo o Lado em Amarelo do Mapa , não Muçulmano de certa forma representa a força em favor de Israel!!
Shalom,
Marco/mrk...

Lobo da Estepe disse...

O revisionismo não tenta negar a existência de campos de prisioneiros com judeus. Estes existiram e não foram exclusividade dos alemães. Os revisionistas querem reabrir o debate sobre as câmaras de gás. Sobre estas eles têm evidências de que nunca existiram. Holocausto geralmente se refere às câmaras de gás.
O Reino Unido com essa lei se tornou o oposto completo dos outros países europeus no que concerne o assunto. Na Alemanha, por exemplo, você pode ir preso por dizer que nunca houve câmaras de gás. Ora, se historiadores afirmam ter evidências e querem apresentar uma teoria no meio acadêmico, por que não permitir? A não ser que se queira esconder algo.

um homem judeu disse...

parabéns pelo site. Mas primeiro dizer que chega a ser uma afronta fulano dizer que "não nega os campos de prisioneiros com judeus", mas nega o extermínio da Shoá com "evidências". a questão não é "censurar", como falaciosamente dizem, possíveis pesquisas acadêmicas revisionistas. a questão é, diante de todas as evidências possíveis e imagináveis, muitas vivas, do genocídio cruel nazista, alguém querer passar a imagem científica de que isso não ocorreu, e por trás, o tal "domínio judaico".
Bom, outro tema: a inglaterra já negou inúmeras vezes que não retirou o estudo da Shoá/Holocausto do seu programa de ensino. por favor, não vamos disseminar este tipo de notícia falsa, que já causou tanto incômodo.
No mais, um abraço.